• Dra. Léa Mara Moraes

COVID-19: Recomendações aos Cirurgiões Plásticos brasileiros

Esta semana, a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica emitiu um comunicado oficial indicando as principais recomendações que devem ser adotadas pelos Cirurgiões Plásticos brasileiros para conter a pandemia de coronavírus. Em tempos de incerteza e falta de informações confiáveis, achei pertinente compartilhar com minhas pacientes e o público em geral essas recomendações, confira:


• Seguir apenas as normativas oficiais evitando divulgar informações e/ou memes, que não possam verificar a veracidade;

• Disponibilização de EPI (Equipamento de Proteção Individual) – máscara facial descartável para os casos indicados e álcool gel nas clínicas/consultórios de Cirurgia Plástica;

• Instruir os colaboradores a seguirem as diretrizes epidemiológicas divulgadas pelas autoridades sanitárias nacionais e locais (Ministério da Saúde e Secretarias e ANVISA);

• Estimular o corpo de colaboradores à vacinação anti-influenza, assim que estiver disponível;

• Permanente atualização das diretrizes epidemiológicas divulgadas pelas autoridades sanitárias nacionais e locais;

• Cirurgias Plásticas eletivas na rede pública de hospitais devem ser postergadas, quando possível (observada a particularidade de cada caso, sobretudo a segurança dos pacientes), a fim de contingenciamento de leitos hospitalares;

• Cirurgias Plásticas eletivas na rede privada devem obedecer às diretrizes oficiais específicas, promulgadas pelas autoridades sanitárias;

• O agendamento de pacientes para atendimento nas clínicas/consultórios, deve ter o gerenciamento cuidadoso a fim de se evitar aglomeração, bem como alongado tempo de espera;

• Procedimentos ambulatoriais minimamente invasivos, podem ser realizados desde que observadas as mesmas especificidades cirúrgicas;


Todos os pacientes deverão: a) Passar por rigorosa avaliação pré-operatória: investigação sobre possível contato com pessoas em estado gripal ou oriundas de regiões endêmicas;

b) Criteriosa avaliação clínica e física, ponderando comorbidades e eventuais riscos potenciais (idade, diagnóstico, condição imunológica etc.);

c) Serem informados sobre a pandemia de Coronavírus, seus riscos e sua interação com a cirurgia pretendida;

d) Assinar documento de consentimento cirúrgico (de acordo com a rotina de cada médico);

e) Ser informado sobre as visitas de familiares e amigos no pós-operatório: devem ser evitadas, podendo-se utilizar meios eletrônicos/digitais (skype, facetime, whatsapp, outros). Quando imprescindíveis seguir as orientações de uso de EPI (Equipamento de Proteção Individual) – máscara facial, utilização de álcool gel, não tocar o paciente, distância mínima de 1 metro, e brevidade da visita;

f) Obedecer ao rigor na vigilância e informar ao médico qualquer alteração.


E cabe, ainda, destacar as principais formas de prevenção:

· Lave as mãos com água e sabão ou use álcool em gel.

· Cubra o nariz e boca ao espirrar ou tossir.

· Evite aglomerações se estiver doente.

· Mantenha os ambientes bem ventilados.

· Não compartilhe objetos pessoais.


Possui outras dúvidas? Fique à vontade para entrar em contato:

(41) 3338-7764 ou (41) 99257-4947 (WhatsApp)



Dra. Léa Mara Moraes, cirurgiã plástica

CRM-PR 10.492

RQE Nº: 4410 (CIRURGIA PLÁSTICA)

Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica

Consultório

Segunda a Sexta-Feira

10h às 16h

Rua Mamoré, 479 - Mercês

80510-362 - Curitiba - PR

Clínicas

Lipoplastic

Los Angeles

  • Facebook - Círculo Branco

Convênios

UNIMED
SULAMÉRICA
GEAP 
ITAIPU