top of page
  • Dra. Léa Mara Moraes

Tudo que você precisa saber sobre prótese de silicone e câncer de mama



A mamoplastia de aumento é, por unanimidade, um dos maiores desejos das mulheres brasileiras. Mas por muito tempo, principalmente quando esse tipo de cirurgia plástica começou a se popularizar, existiram dúvidas sobre a relação da prótese de silicone e o câncer de mama.


É claro que com a mudança na disseminação de informações, que passamos nos últimos a anos, a maioria dessas dúvidas já foram sanadas, mas é importante continuarmos esclarecendo todos os detalhes sobre cirurgias plásticas, a fim de incentivar procedimentos cada vez mais seguros.


Por isso, neste post você vai descobrir tudo que precisa saber sobre silicone e câncer de mama. Acompanhe!


Silicone pode causar câncer de mama?

A prótese de silicone não causa câncer de mama e nem é fator de risco para a doença, o que já foi comprovado por diversos estudos científicos. Então, as chances de uma mulher com silicone ser acometida pelo câncer de mama são as mesmas de uma mulher que não possui prótese.


Vale lembrar que o câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação desordenada de células anormais da mama e, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), há fatores ambientes e comportamentais (obesidade, sedentarismo, consumo de bebida alcoólica etc), de história reprodutiva e hormonal (idade da primeira menstruação e gravidez, uso de contraceptivos etc) e hereditários (pessoas na família que já tiveram a doença) que podem causar a doença.


Como é feito o diagnóstico do câncer de mama em pacientes com silicone?

O diagnóstico do câncer de mama em pacientes com silicone pode ser realizado normalmente, principalmente pelo exame de mamografia, que deve ser feito periodicamente.


Em casos de autoexame, a facilidade do diagnóstico inicial depende da maneira como a prótese é colocada, se subglandular ou submuscular, tendo em vista que com a colocação subglandular a prótese fica alocada logo atrás da glândula mamária. Já nos casos da submuscular, o silicone fica alocado atrás do músculo.


Se diagnosticado o câncer, é necessário fazer o explante do silicone?

Se for diagnosticado um câncer de mama, o tratamento será de acordo com cada caso, e será determinado pelo oncologista. Mas o implante de silicone é uma das opções de reconstrução após o tratamento cirúrgico do câncer de mama.


Na verdade, o explante de silicone precisa ser feito em casos de formação de linfoma na cápsula da prótese. O linfoma se desenvolve no próprio sistema linfático e compromete os linfonodos do corpo. Isso ocorre a partir de uma mutação de célula saudável do sistema linfático, que começa a se multiplicar de forma descontrolada.


É possível colocar silicone depois do câncer de mama?

É perfeitamente possível colocar silicone após o câncer de mama, inclusive é uma prática muito comum em mulheres que precisaram passar ou optaram por realizar uma mastectomia, por exemplo.


Nesses casos, é necessário que o médico cirurgião indique uma prótese e o tipo de colocação adequado ao histórico e ao quadro de cada paciente. Já que pelas chances de reincidência da doença, é necessário levar em consideração possíveis exames e biópsias.


Cuidados importantes depois da prótese de silicone

Além dos cuidados que a paciente deve ter no pós-operatório imediato, como uso de sutiã compressor, limitação de movimento e cuidados fisioterapêuticos, é importante lembrar que há outros cuidados contínuos.


Depois da colocação do silicone, deve-se manter a regularidade de retorno ao médico e a realização de exames de imagem periódicos, para verificar a posição e a situação da prótese.


Lembre-se: o diagnóstico precoce do câncer de mama é importante!

Ainda de acordo com o Inca, o diagnóstico precoce contribui para a redução do estágio de apresentação do câncer de mama, por isso ele é tão importante. O processo inicial para esse diagnóstico pode ser feito por meio do autoexame, recomendado para mulheres acima de 20 anos, que, ao detectarem qualquer alteração ou corpo estranho na mama, devem procurar um profissional da saúde habilitado para investigar o caso.


Outra maneira de detectar o câncer de mama precocemente é realizando o exame de mamografia, recomendado anualmente para mulheres acima de 40 anos de idade.


Ah, e esses cuidados devem ser redobrados em casos de câncer de mama na família, uma vez que a doença também pode ser hereditária.


Ainda tem dúvidas sobre a relação da prótese de silicone e o câncer de mama? Agende a sua consulta e vamos esclarecer todas!


Comments


bottom of page